Projetamos ideias, buscamos informações e colecionamos dicas. Confira!

Passo 2: como posso pagar?

casa, casa própria, casa popular, financiamento, silva realizações, silva realiza

Você sabe, comprar uma casa não é como comprar uma pizza. 

O primeiro passo do planejamento financeiro pra compra da casa própria é conhecer as formas de pagamento mais utilizadas.

Existem basicamente duas opções: pagar à vista ou parcelar.

No PAGAMENTO À VISTA não tem mistério. Você já tem todo o dinheiro necessário (fez economia, recebeu uma herança, vendeu outro imóvel e etc) e paga diretamente o valor pro vendedor.

Já no PAGAMENTO PARCELADO as duas modalidades principais são o consórcio imobiliário e o financiamento bancário.

O consórcio imobiliário é uma espécie de poupança coletiva, onde um grupo de pessoas tem o objetivo comum de autofinanciar a compra de um imóvel. Assim como numa poupança, você economiza antes para comprar depois, com a vantagem de poder ser contemplado no meio do caminho por sorteio ou lance. Em alguns casos é possível utilizar o FGTS para dar lances. O consórcio imobiliário é uma alternativa de parcelamento de menor custo, mas requer um planejamento antecipado pois você pode demorar pra ser contemplado.

Existem várias empresas administradoras de consórcios imobiliários. Antes de contratar uma verifique se ela está na lista de administradoras de consórcios do Banco Central e consulte também a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios.

O financiamento bancário é a forma mais utilizada para compra de imóveis, e pode ser feito por banco privado ou público. Fique de olho, existem diversas modalidades de crédito imobiliário, com diferentes taxas e prazos.

O responsável pela obtenção do financiamento é o comprador do imóvel. O proprietário tem a responsabilidade de te entregar toda a documentação necessária para o processo de financiamento (documentos do vendedor e do imóvel).

A maioria dos bancos financia até 80% do valor de avaliação do imóvel, com prazo de pagamento que pode chegar a até 360 meses, dependendo da linha de financiamento. Em alguns casos, é possível utilizar o FGTS como parte do valor da entrada, para amortização do saldo devedor ou no pagamento de parte do valor das prestações.

Nos bancos privados o processo, em geral, é mais rápido e menos burocrático. Por outro lado, os juros e taxas podem ser mais altos.

Nos bancos públicos – Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil – o processo pode ser um pouco mais burocrático e demorado, mas os juros e as taxas geralmente são menores. Dependendo do valor do imóvel e da renda do comprador, existe a possibilidade de obter taxas de juros especiais e subsídios.

E então, qual forma de pagamento se encaixa melhor com seu perfil? Pra responder essa pergunta analise sua renda, some suas economias e defina sua urgência para comprar um imóvel.

Tudo certo? Vamos para o próximo passo, começar a procura! :)

Passo 3: cadê a minha casa?